06 março, 2017

Ponto de Situação



Com mais força, tranquilidade e determinação do que nunca. As dores, depois de sentidas e choradas devidamente, deixam de ser dores e passam a ser recordações de algo que nos magoou mas que também nos ensinou. É assim a vida. Até amanhã.




#

04 março, 2017

Decor | 65

[Imagem retirada daqui]

Ando muito numa fase de brancos e cinzas, talvez pela paz e tranquilidade que me transmitem.
[E a cadeira de baloiço é só uma delícia!]




#

28 fevereiro, 2017

Continuo a ser [muito] humana



Os últimos dias [semanas] não têm sido fáceis. Assuntos do coração. Ilusões que viraram desilusões que nem o meu optimismo e serenidade conseguiram atenuar. Apesar de estar a tornar-me numa pessoa mais serena e equilibrada, há situações que ainda me desequilibram e me fazem ficar triste. Há muito tempo que tinha o meu coração fechado. Quando ganhei coragem suficiente para o abrir novamente, voltei a padecer da dor do desamor. Foi como se todas as feridas já cicatrizadas se abrissem de novo, sangrando e doendo como outrora. Todos os fantasmas renasceram. As inseguranças. Os medos. Quando, finalmente, decidi entregar de novo o meu bem mais precioso [o meu coração], voltaram a tratá-lo mal. Doeu. Como doeu. Mas, contrariamente a tempos idos, desta vez aceitei a dor. Aceitei mais esta aprendizagem. Chorei até adormecer dias seguidos. Chorei tudo aquilo que tinha para chorar. Deixei-me fragilizar. Libertei [estou a libertar] mais essa mágoa. Acima de tudo, não me julguei nem me culpei. Aconteceu o que tinha de acontecer. Ainda não foi desta. Um dia será, ainda acredito. E vai correr tudo bem. [Desculpem o desabafo e a ausência]



#

25 fevereiro, 2017

Decor | 64

[Imagem retirada daqui]

Olhei para este quarto e o meu primeiro pensamento foi: serenidade.
Quero um igual!




#